terça-feira, 2 de abril de 2013

Não! (ou "a um Peregrino a busca é o que importa")

Pintura "O Soneto", de William Mulready,
pintor contemporâneo do Romantismo inglês.


        Mais que uma simples negação
        Que rompe qualquer intento
        De ser feito um laço de emoção
       Ou uma troca de sentimento

        Ao ouvinte desperta inquietação
        Impelindo-o ao questionamento
        De na entrelinha da palavra “não”
        Descobrir, em algum momento,

        Qual a verdadeira dimensão
        Desta palavra em teu pensamento.
        Porém a dúvida é o norte da ação

        E, por isso, dela me contento
         Pois, se nenhuma resposta se revela,
        Buscá-la torna a vida mais bela!
                                                                                                    31/03/2013

3 comentários:

  1. Muito boa poesia. Parabéns Daniel.

    ResponderExcluir
  2. Há também umas certezas
    de verdade conhecida
    como a que um animal morto
    é uma animal sem vida.

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Brincadeira, mas parabéns pelo soneto. Resumiu bem o contexto do não!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu devia dar na sua kra Tiago!!!! Vc se utilizou de poesia pra tirar onda comigo!!! :P

      Excluir